Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2021

No horizonte a visão de mim mesma

Olho para o horizonte, estou num passeio pela orla com minha família e o mar infinito me convida a observá-lo e ali agradeço. Um pequeno filme se passa na minha cabeça, essa é a orla que passei os melhores anos da minha infância e adolescência, apesar de ser do Rio de Janeiro, com os parentes maternos aqui, vínhamos todos os verões. Brinquei, cresci e sonhei. Então, olho para meus filhos e marido caminhando mais à frente e ali está...o meu sonho...realizado. Parece pouco? Para mim, é o meu universo. E aqui assumo as minhas responsabilidades perante eu mesma, perante eles. Penso, qual a importância de criar 2 seres humanos com valores, com a divindade interior, com o respeito ao próximo, que serão parte do planeta para o bem maior? Será essa a minha missão? Sim, respondo para mim mesma, então um pontinha de medo e ansiedade afloram...será que consigo? Sim, mais uma vez eu digo e imediatamente me conecto com a minha divindade, ela me dá a segurança, ela me ensina a amar, ela mostra o meu

Superando medos e reencontrando o prazer de pedalar

  Pode ser que para você seja um hobby ou esporte comum. Mas, para mim não era bem assim. Nunca fomos muito amigas, aos 16 anos sofri um acidente com ela, que me deixou a cicatriz na cabeça com os pontos que levei e as lembranças das dores. De lá para cá nunca abusei da nossa relação, sempre devagar e confesso com medo de cair novamente, assim nosso contato era esporádico. Tive os filhotes e me pego com o coração de mãe aflito a cada manobra, velocidade, rampas, curvas que se aventuram em suas pedaladas. Ah! Sim! Estou falando das bicicletas. Contudo, eu sei que não posso passar meu medo para eles, assim mantenho o estímulo e sempre peço que tomem cuidado. Acontece que faz algum tempo que estou num processo de redescoberta, reconexão, meditação e reencontro com a minha criança. Para quem pratica o Ho'oponopono essa é uma das ferramentas para a busca da nossa paz, conversar com nossa criança interior. E numa das minhas meditações, percebi que precisava superar essas memórias, enfren

Qual a natureza que pulsa em você?

  Enquanto realizo minha meditação inspiro e expiro observando cada movimento do meu corpo. Não é algo fácil de realizar, observar a plenitude da respiração, mas há dias em que essa conexão se faz mais fácil, são nesses momentos que consigo trazer a minha verdadeira natureza para fora. A vida agitada, os dias turbulentos escondem muitas vezes a nossa natureza, por isso já tornei hábito o ato de meditar ao amanhecer e trazer essa ligação para o restante do meu tempo, além de ter a oportunidade de ser grata ao Criador por mais um dia. Dessa forma sinto que fortaleço meu espírito e meus pensamentos. O cultivo de bons hábitos que nos engrandecem é algo que todos nós devíamos buscar, independente da fase da vida que estamos. Essa união com o Universo e a Mãe Natureza é o que desperta o verdadeiro amor. Se deixarmos eles agirem e se entregamos nossos desejos de alma a eles, observando seus movimentos, suas estações, suas cores, seus animais, entenderemos que eles cuidarão também de nós com o

Ser real

Aproveitando os ensinamentos de uma boa leitura deixo aqui um trecho do livro que me fez refletir sobre os meus ciclos de vida e o que espero para o meu futuro partindo de hoje, aos 43 anos. Leia comigo e aproveite a reflexão: No livro A Coragem de Ser Imperfeito, BreneBrown termina um capítulo com uma passagem do livro The Velveteen Robbit da escritora Margery Williams. Diz assim: " - Ser real não tem a ver com a maneira como nós somos feitos - disse o Pele de Cavalo. - É uma coisa que acontece. Quando uma criança o ama por muito, muito tempo, e não apenas para brincar com você, mas o ama de verdade, então você se torna REAL. - É isso dói? - quis saber o Coelho. - Às vezes - respondeu o Pele de Cavalo, pois ele era sempre muito sincero. - Mas quando somos REAIS não nos importamos de nos ferir. - Tudo isso acontece de uma vez? Ou acontece aos pouquinhos? - Não acontece de uma vez. Para se tornar REAL leva muito tempo. Por isso não ocorre normalmente com aqueles que desmontam com f